Segurança patrimonial na educação de todos os níveis

Segurança na educação é um assunto muito falado ultimamente com a crescente onda de vulnerabilidades nas escolas. É delicado e deve ser tratado com responsabilidade por todos os envolvidos, incluindo diretoria, corpo docente e empresa de segurança escolhida para o projeto.

Segurança na educação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esse tema envolve o cuidado com crianças e adultos de diversas idades, desde a segurança na educação infantil – que compreende escolas com crianças até 5 anos de idade – até as universidades. As instituições de ensino superior tem riscos de segurança diferenciados, por se tratar de um público de faixa etária mais elevada.

Por que se preocupar com Segurança nas escolas e universidades?

Diversas vulnerabilidades estão presentes no ambiente escolar, que podem ou não ser influenciadas pelas condições do local em que a instituição está sediada. Para minimizar os riscos, é importante que a instituição de ensino desenvolva um projeto de segurança coerente com as condições do empreendimento. Esse projeto deve levar em conta os aspectos geográficos, arquitetônicos, de convivência e, inclusive, os aspectos externos, com um plano de segurança perimetral.

Como funciona a segurança na educação

Com um projeto de segurança completo, desenvolvido por profissionais competentes e experientes, é hora de implantar as ações. Nenhuma ação deve ser aplicada sozinha, afinal, todo projeto de segurança abrange planos de contingência para cada situação. Portanto, implantar ações isoladas não resolvem as vulnerabilidades na totalidade.

A segurança nas escolas deve contemplar a forma como se lida com alunos de determinada faixa etária. Cada grupo demanda pontos de atenção diferentes: a segurança na educação infantil pede atenção com a impulsividade das crianças, principalmente ao sair para a rua. Já os jovens do ensino médio passam por riscos de aproximação de pessoas desconhecidas, por exemplo.

Além disso, alunos, professores e outros colaboradores precisam estar cientes de como agir em cada situação. Em algumas escolas são praticadas simulações para que os alunos conheçam rotinas de emergência. Empresas de segurança especializada tem o conhecimento necessário para aplicar um projeto de segurança escolar funcional com a devida comunicação aos públicos sendo feita de forma efetiva.

O Ibope Inteligência divulgou em pesquisa realizada nas grandes capitais que, 87% dos pais indicam a segurança como principal preocupação ao escolher uma escola, quando 81% indica a qualidade de ensino da mesma. Sendo assim, é fato que segurança nas escolas é primordial e, para isso são definidos procedimentos claros para as instituições. Os procedimentos de segurança no ambiente escolar envolvem a observação de: objetos que possam obstruir a circulação nas áreas comuns, iluminação interna e externa adequadas, verificação de muros e grades, controle de acesso às dependências administrativas e às dependências onde há circulação de alunos, monitoramento por imagem (se convier), movimento de pessoas nos entornos da instituição (inclusive ambulantes), etc.

Confiança e seriedade no dia a dia da segurança

Os profissionais envolvidos na aplicação da segurança no dia a dia também são uma preocupação importante. Profissionais bem treinados, que conhecem bem os procedimentos a serem adotados no local devem ser discretos, mas também empáticos. O relacionamento com as crianças deve ter o respeito como palavra de ordem e a direção deve orientar sobre os valores da instituição, para que os envolvidos ajam de acordo, com seriedade.

Os profissionais de segurança, no ambiente escolar ou universitário, devem conhecer os limites de sua função e nunca aplicar ou envolver-se em medidas disciplinares aos alunos. Devem submeter queixas à coordenação para que esta dê andamento nas questões.

Dicas de segurança na educação

    • Alunos e colaboradores devem estar atentos a qualquer movimento estranho ao entrar e sair da escola
    • No caso das escolas, o uniforme é peça importante para uma rápida identificação no controle de
      acesso, evitando aglomeração na entrada.
    • Limitar o acesso de pessoas desconhecidas às dependências onde há circulação de alunos
    • A manutenção do ambiente escolar deve estar em dia para evitar brechas de segurança: muros, grades, pisos , portas, janelas e toda a estrutura predial.
    • Selecionar rigorosamente empresas de manutenção reconhecidas, fazendo cadastro prévio e agendamento de serviços.
    • Aproveitar a tecnologia para monitorar e controlar os acessos.
    • A rotina deve compreender uma ação específica para atrasos, definindo entrada e forma de registro, para evitar vulnerabilidades.
    • Comunicar todos os envolvidos sobre a política de segurança para que haja entendimento e adoção dos procedimentos definidos.

O assunto é delicado, mas a segurança na educação pode ser bem definida com um plano elaborado por empresa capacitada. Saiba mais sobre segurança patrimonial e como ela pode colaborar com a rotina de instituições e empresas aqui.

Segurança patrimonial na educação de todos os níveis
Avalie a postagem!
Publicado em: 27 de abril de 2018

Arte por Allure e Programação DGAZ Agência de SEO